Francisco Laélio de Oliveira Bedê - Oficial-Aviador da Foça Aérea Brasileira FAB e pesquisador de temas aeronáuticos -  ( ⭐  Limoeiro do Norte-CEARÁ)

VISUALIZAÇÃO:

contador de acesso grátis

 

Nacionalidade: País BRASIL (brasileiro)

Naturalidade: Estado do CEARÁ (cearense)

Localidade: Cidade de LIMOEIRO DO NORTE  (limoeirense)

Data de nascimento:  15  de agosto de 1937

Domicílio: Cidade de FORTALEZA

Nome completo: FRANCISCO LAÉLIO DE OLIVEIRA BEDÊ

Alma máter: ESCOLA DE AERONÁUTICA DO CAMPO DOS AFONSOS – 1960

 

 

 

Francisco Bedê (N.1937) piloto de aviões convencionais, turboélices e a jato da FAB, realizando um total de 8.000 horas de voo durante 30 anos de efetivo serviço. É estudioso de temas matemáticos, de mecânica aplicada e de forças aerodinâmicas.  É pesquisador dos mais diversos  assuntos aeronáuticos.

 

 

Passado pouco mais de um século, FRANCISCO BEDÊ utilizou cientificamente a trigonometria (cartesiana) para fundamentar a sua pesquisa ao estudar o Algoritmo de Alberto Santos Dumont, aplicado pelo Pai-da-Aviação na construção do 14-BIS (1906) e dos projetos do DEMOISELLE – (1907).

FRANCISCO BEDÊ contextualizou seus estudos num livro de 352 páginas, acompanhado de DVD, ao qual intitulou de:

TEORIA DO COEFICIENTE “ANGULAR”

DE SUSTENTAÇÃO CAS

 

 

BREVE HISTÓRICO

 

Início de vida – (educação, saúde e trabalho)

 

Francisco Bedê, entenda-se Laélio neste texto, nasceu na cidade de Limoeiro do Norte, distante 196 km, por estrada, da capital do Estado do Ceará. Por rota de voo dista 163 km. O município é conhecido como Terra das Bicicletas e, coloquialmente, como Princesa do Vale.

Seus pais eram: Samuel Bedê Filho, nascido em Cascavel-CE, médico obstetra conhecido em toda a região do vale do Rio Jaguaribe por “Doutor Bedê”; e, de Maria de Oliveira Bedê, filha da terra limoeirense, estudante normalista, sendo conhecida por “Dona Mariinha”, e descendente da tradicional Família dos Oliveira Lima. Seus pais tiveram vida longa: Dr. Bedê viveu 86 anos; e; Dona Mariinha viveu 94 anos.

 

O Doutor Bedê e Dona Mariinha tiveram um breve relacionamento e, com 6 meses de namoro, casaram-se na Igreja  Matriz Central da Cidade. O casal teve  6 filhos, a saber a partir do primogênito: Laélio, Laércio, Wellington, Valdecírio, Velma e Waldyr.

Ocorre que o filho primogênito, Laélio, aos 12 anos de idade sofreu uma gravíssima pancada durante um jogo de futebol, sendo acometido de peritonite com perfuração intestinal, o que obrigou seu pai, embora médico, a se transferir o mais breve possível para a Capital do Estado e tratar da saúde do filho, porquanto, Fortaleza tinha melhores recursos médicos e mais hospitais.

 

A vinda do Doutor Bedê para Fortaleza deixou-o animado para que fundasse raízes na Capital e fez com que ele estabelecesse próximo da sua nova residência um consultório médico para atendimento popular. E o seu intento deu certo pois, por volta dos anos 50, ainda eram poucos os médicos formados fora da Capital, (em Estados mais adiantados da Federação). O Doutor Bedê conseguiu a muito custo hospitalizar o seu filho primogênito, que levou cerca de 6 meses para recuperar a saúde.

Com a saúde restabelecida, Francisco Bedê retornou aos estudos, vindo no período diurno a completar inicialmente o curso do 1º grau no então Ginásio 7 de Setembro, da Rua do Imperador. Ocorre, todavia, que o seu pai Dr. Bedê veio a ser também acometido de seríssima doença febril, de modo que o primogênito Laélio viu-se obrigado a trabalhar “fora de casa” para sustentar a família. Portanto, a opção de emprego que apareceu imediatamente foi a de trabalhar como “trocador de ônibus” e, cerca de 2 meses depois, ele já se transferia para outro emprego, um “estabelecimento farmacêutico” no centro da cidade, vindo a obter melhor remuneração. Essa nova atividade fez com que o primogênito Laélio passasse a estudar no período noturno, no Liceu do Ceará. Chega o ano de 1955 e o primogênito Laélio faz concurso para ingressar na Escola Preparatória de Cadetes do Ar, em Barbacena-MG, alcançando o 17º lugar entre os 100 candidatos classificados. Após esse curso preparatório de 3 anos, é transferido em 1958, por mérito, para cursar a Escola Superior de Aeronáutica do Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro-RJ, onde veio a se formar como Oficial Aviador da FAB, no final de 1960.

 

Família (seis filhos)

 

Francisco Bedê tem 6 filhos, todos morando em diversos e longínquos lugares: Mauro, (em Moscou); Marco (em Brasília); Marta (em Gaia); Laélio (em São Paulo); Flávio (em Fortaleza); e; Nícila (em Russas).

 

 

 

MEMBRO DE INSTITUIÇÕES ACADÊMICO-LITERÁRIAS NA CONDIÇÃO DE SÓCIO REMIDO

 

1- É membro da ACADEMIA DE CIÊNCIAS, LETRAS E ARTES DO COLUMINJUBA DE CAPISTRANO DE ABREU - ACLA - como Titular da Cadeira 13

2- É membro da ACADEMIA MAÇÔNICA DE CIÊNCIAS E LETRAS DO ESTADO DO CEARÁ – AMLEC,  como  Titular  da  Cadeira  12

3- É membro da SOCIEDADE CEARENSE DE GEOGRAFIA E HISTÓRIA – SCGH

 

CONTRIBUIÇÕES LITERÁRIAS (EM LETRAS, EM CIÊNCIAS, ETC.)

Primeiras Pedras;  Ponto de Congelamento;  Teorema da Clonagem;  A matemática dos homens e a Mente Matemática de Deus;  Deus não tem Moral e o homem não tem Ética; Cidadanismo (trabalho feito em parceria com os autores doutores Jorge Acário e Pedro João Abreu);  Contos Reais do Último Verão Brasileiro;  Retalhos Poéticos;  Entrevista Inusitada; Capistrano de Abreu, o Homem na Província, na Corte e no Mundo; Centenário do Primeiro Voo de Avião e o seu Inventor no Brasil e na França; Geometrizando os conceitos de Ética e Moral; Estudo  do  Coeficiente  “Angular”  de Sustentação na Decolagem  Horizontal  de  Aviões  que Utilizam  Combustíveis  Líquidos – (como teoria inicial).

 

EM ORDEM CRONOLÓGICA, DEPOIMENTOS DE PROFESSORES-DOUTORES SOBRE A OBRA PRINCIPAL DE FRANCISCO BEDÊ: COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO CAS :

 

Em 14 de dezembro de 2006: “Ao tomar conhecimento do trabalho científico de Francisco Bedê, alertei-o sobre a simplicidade da ideia contida, sobretudo no seu novo conceito de sustentação, fruto do vislumbre de um coeficiente angular durante a corrida de decolagem de um avião, que imagino ser em nossos dias uma das mais singelas descobertas teóricas no setor da Aviação. Faz-se grandemente necessário a presença de pesquisadores tanto da área da indústria aeronáutica como da aviação militar para corroborar este estudo, que penso ser revolucionário. Quem sabe um novo Ovo de Colombo!?”

Prof. Dr. JOÃO BATISTA FURLAN DUARTE

UNIFOR – Universidade de Fortaleza

 

Em abril de 2007: “...considerando-se a suspeita - (quociente 6) - como verdade haveria um ganho indiscutível para o projeto das aeronaves. No entanto, deduzir uma expressão teórica, apesar do seu fascínio peculiar, demandaria uma grande dedicação de tempo e de recursos intelectuais. Além disso, poderia ser enfadonha para a maioria dos leitores; mais ainda, enquanto estudo teórico poderia ser aceito ou não.

A ESTATÍSTICA revelou-se o caminho mais rápido para produzir convencimento. Esta sim, construída sobre exemplos concretos, traria consigo a verdade debruçada na janela da história, viva e consagrada. Como brinde, as aeronaves apresentadas nos levam a passear entre passado, presente e futuro, revivendo e sonhando como todo aquele que faz da aviação um ideal de vida. O que seria um capítulo transformou-se em um livro, uma tese que extrapolou o cálculo de decolagem e apresentou corolários muito úteis a temas relacionados ao projeto e à segurança de voo.

Lembro-me de determinado momento do trabalho, quando o Autor fez um comentário sobre a forma com que nós, meros colaboradores, nos apaixonamos pelo tema. Hoje, com a obra terminada e o êxito da comprovação tenho a obrigação de fazer um duplo agradecimento: ao convite para participar e ao espírito empreendedor, histórico e científico que motivou Francisco Bedê, uma personalidade ímpar com quem tenho o orgulho de conviver.”

Eng. Aer. e Piloto de Provas

RUBENS PEIXOTO DA SILVA

 

 

Em 30 de maio de 2007: “Com este trabalho de Francisco Bedê renovei minhas convicções de que regras simples podem ser úteis na tarefa de projetar aviões. No que tange à motorização para decolagem de aviões de asa fixa, se um aluno me perguntar como obter uma estimativa de potência máxima dos motores para um dado peso máximo de decolagem, a resposta pode ser obtida a partir de um coeficiente angular igual ou menor que 6 kgf/hp.”

Eng. Aer. – 78 MBA, M Sc.

ITA SJC-SP PhD, Brig Eng R1

MAURÍCIO PAZINI BRANDÃO

 

 

 

Em 15 de junho de 2007 - Email: “Em sua obra, Francisco Bedê realizou uma pesquisa extensa, desde a época de Santos Dumont até os dias atuais, a respeito da relação peso/potência máximos de decolagem em mais de 300 tipos de aeronaves diferentes. Esta relação, batizada pelo Autor por COEFICIENTE ANGULAR, tem um grande mérito de cunho prático por mostrar que, historicamente, projetos aeronáuticos que obtiveram sucesso, ou fracasso, podem ser separados em regiões definidas por simples retas no Plano Cartesiano.”

Eng. Aer. PhD, Brig Eng R1

ITA SJC-SP  ABÍLIO NEVES GARCIA

 

 

 

 

 

 

Em 4 de abril de 2008: Abaixo, parágrafos finais destacados do documento oficial VED-009/2008-EMBRAER, emitidos pelo então Vice-Presidente de Engenharia da EMBRAER, o Engenheiro EMÍLIO  KAZUNOLI   MATSUO:

 

 

 

“...Trata-se de tese muito interessante principalmente pela simplicidade de raciocínio e dados que permitem um elevado grau de confiança em uma primeira aproximação ou em cálculos preliminares de um novo projeto.

 

Notamos também a extensa pesquisa realizada com inúmeras aeronaves, criando uma valiosa base de dados e ratificando a teoria acima mencionada

 

Como citado pelo autor não se trata de um estudo mandante, mas que certamente vem se somar às diversas metodologias existentes, oferecendo ainda um leque maior de opções aos projetistas  aeronáuticos.

 

Parabéns pelo excelente trabalho e criatividade.”

 

Eng. Aer.  EMÍLIO  KAZUNOLI  MATSUO

(então Vice-Presidente de

Engenharia da EMBRAER)

 

 

 

Em novembro de 2019: Trechos destacados do depoimento proemial feito pelo Prof. de Física e Matemática PLAUTO HÉLVIO TEIXEIRA

 

“...O estudo de Francisco Bedê ao entrelaçar conhecimentos de duas áreas científicas – Ciências da Natureza e Ciências Exatas – foi uma oportunidade para que pudéssemos fazer coro e defesa de muitos de seus propósitos que se evidenciaram durante o desenvolvimento de singular maestria acadêmica ao construir um aplicativo iconográfico de coeficientes “angulares” de sustentação, síntese e objetivo principal da obra na qual o Autor chamou o resultado de CAS, (para dados do peso máximo de decolagem e da necessária potência requerida para realização do voo considerado). E, digo que seriam dentre outros, alvos anunciados corajosamente em todo o desenvolvimento do estudo, pois o seu desiderato visava resgatar conhecimentos incipientes existentes na primeira década do século XX, precisamente a partir dos anos 1906 e 1907,  conforme as seguintes avaliações históricas e técnicas que fizemos e destacamos a seguir:

 

- seja a respeito de “competências” vetoriais e/ou escalares fazendo parte do estudo do Autor sobre as quatro forças aerodinâmicas, assim enumeradas pelo nosso entendimento:

S (FS): força de sustentação, em inglês lift (L ou FL); obs.: para coeficiente de sustentação CL (calculado experimentalmente, lift coefficient);

A (FA): força de arrasto, em inglês drag (D ou FD); obs.: para coeficiente de arrasto CD (calculado experimentalmente, drag coefficient);

P: peso, weight, (W);

T: empuxo (turbina), tração (hélice); em inglês: thrust, traction (T); forças essas que já eram consideradas e estudadas na recém-nascida FÍSICA DE VOO, (Física de então, da época do balonismo praticado por Santos Dumont);

 

- seja sobre outras “competências” denotadas por valores adimensionais gerados pela função “tangente de um ângulo” – a MATEMÁTICA DOS COEFICIENTES “ANGULARES” – para o Plano de Coordenadas Cartesianas inserido no Círculo Trigonométrico, especificamente para os ângulos localizados no 1º. quadrante, (ao estabelecer a equação reduzida da reta a partir da sua equação geral), um conhecimento de trigonometria embasado desde os estudos de funções correlatas para variáveis complexas, consolidados que foram por Bernoulli  e  Euler  a  partir  do  século  XVIII.

 

- seja sobre que o Autor visava, sobretudo resgatar o início da história da invenção do avião pelo brasileiro Alberto Santos Dumont e tornar público suas anotações feitas durante dois anos seguidos, (1906 e 1907), dando origem a surpreendente visão de cálculo de Santos Dumont para que os construtores da época acima citada passassem a considerar uma nova forma de calcular, (livre de grandezas físicas associadas), proporcionando através de um APLICATIVO OU GRÁFICO DIAGRAMÁTICO PADRÃO DE COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO, um outro resultado a que chamou de CAS – coeficiente “angular” de sustentação, que é bem diferente do cálculo de CL – coeficiente “de sustentação”. Portanto, que os primeiros construtores de aviões devessem atentar para valores (números) referentes à razão MASSA/ENERGIA, de modo que os mesmos fossem calculados livres de dimensão, e serem apenas considerados na condição de referência respectiva como numerais relativos a kg e como numerais relativos a hp, e ainda, de modo que a ideia dos valores de competências  adimensionais se prestassem para estimativa de cálculo do CAS, o que em nada deveriam ser confundidos com valores de outras competências adimensionais calculados experimentalmente em túneis aerodinâmicos e/ou por sistemas computacionais com aproximações empíricas para CL  e para CD, experimentalmente.

Percebe-se claramente que o Autor pretendeu que as “competências” aerodinâmicas trazidas à tona fossem tanto desnudadas de mito no espaço atmosférico e, ao mesmo tempo, desmistificadas na prancheta de dados aeronáuticos, de modo que uma faixa de coeficientes “angulares” de sustentação – CAS previamente estabelecida pudesse, ao enquadrar determinada aeronave, mostrar custos operacionais (eficiência/eficácia) VERSUS benefícios (segurança de voo), para saber quando se trata de um projeto de aeronave eficiente e/ou de um projeto de aeronave eficaz.

 

Outra singularidade do APLICATIVO OU GRÁFICO DIAGRAMÁTICO PADRÃO DE COEFICIENTES “ANGULARES” DE SUSTENTAÇÃO é que nos permite identificar quais aviões multimotores poderão, a título de voo de traslado para fins de manutenção a ser feita com destino a outra base de apoio, decolar com um motor inoperante. O Autor cita vários exemplos desses aviões, (comprovando tais decolagens através de videoclipes), com destaque para as seguintes aeronaves:

 

 

- o trimotor XF-88B, decolando na condição bimotor;

- o quadrimotor C-130, decolando na condição trimotor;

- o quadrimotor ELECTRA II, decolando na condição trimotor;

- o octomotor B-52G, decolando na condição heptamotor;

- o decamotor B-36, decolando na condição nonamotor;

- o dodecamotor Do-X, de 12 motores, podendo decolar com 11 motores.

 

Afirmo que dois aspectos preocupantes o estudo nos impactou:

 

(1) a informação dada pela Agência Internacional de Energia sediada em Paris -  (IEA – International Energy Agency), alertando que no ano de 2040 as reservas petrolíferas conhecidas não serão mais suficientes para atender as demandas mundiais de combustível para a aviação a jato, sobretudo o QUEROSENE DE AVIAÇÃO, se mantidos os atuais ritmos de produção e consumo desse combustível. Então, entraria em cena nesse instante o APLICATIVO OU GRÁFICO DIAGRAMÁTICO PADRÃO DE COEFICIENTES “ANGULARES” DE SUSTENTAÇÃO mostrando aos fabricantes de aviões a jato que a aeronave considerada poderá ou não receber um overhaul kit para nova motorização. Por exemplo, trocar os seus turbojets por turbofans, tudo em nome da “eficiência” enquanto não se vislumbra uma nova matriz energética para suprir a aviação a jato.

 

(2) a antevisão de que não são as grandes “capacidades” de passageiros embarcados, (B-747-8, com cerca de 600 pax; e; A-380, com cerca de 800 pax), que assegurarão eficiência operacional.

O estudo de Francisco Bedê tem um lado curioso e muito interessante: mostra pelo aplicativo padrão de CAS como podemos estimar com bastante segurança o “ESFORÇO POTENCIALIZADO EFICAZMENTE” das grandes aves de rapina, exemplificando-se as águias americanas, quando identificamos e comparamos a força do seu “bater de asas” com a “potência em hp” dos motores de pequenos aviões convencionais.

Concluimos que tudo que ocorre na Aviação, seja no alto - ESPAÇO ATMOSFÉRICO - seja cá embaixo - nas PRANCHETAS DE PROJETOS AERONÁUTICOS - está intimamente relacionado com a Física e a Matemática, de maneira que em ambas as ciências não haja, respectivamente, mito e nem mistificação, conforme o Autor sugere no título da sua obra para demonstrar que ALBERTO SANTOS DUMONT estava fora da “curva” da genialidade humana traçada pelo engenheiro e pesquisador do Instituto de Termodinâmica de Chicago-EUA, Dr. LIBB THIMS, (desenvolvida geometricamente pelo Autor, cfr. texto anexado), pelo fato de DUMONT ter sido um “súper” gênio. Com esta última consideração entendemos, salvo melhor juízo, que seria uma merecida homenagem póstuma ao Pai-da-Aviação se o presente estudo de Francisco Bedê viesse a ter outros reconhecimentos científicos internacionais e publicação em revistas especializadas.

 

PLAUTO HÉLVIO TEIXEIRA

Prof. de Física e Matemática

 

 

 

NO EXTERIOR

 

Em 19 de novembro de 2014: FRANCISCO BEDÊ foi o único latino-americano a apresentar trabalho na 13ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AVIAÇÃO E COSMONÁUTICA, realizada em Moscou-RÚSSIA, na semana de 17 a 21 de novembro de 2014, sob os auspícios do Comitê Organizador da Conferência.

 

Após apresentar o seu estudo com o título oficial de "TEORIA DO COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO –  CAS – NA DECOLAGEM DE AVIÕES”, o Autor teve o seu trabalho certificado com “aprovação”  e  elogiado publicamente pelo Professor PhD do IAM - Instituto de Aviação de Moscou, Dr. NIKOLAY KONSTANTINOVICH LISEYTSEV, que depois de comentar o trabalho do Autor, sintetizou sua apreciação final com a seguinte  conclusão em inglês:

 

“Not being the study presented to be mandatory character matter, ie, that could counteract the traditional concepts of Science Aeronautics, the same is observed with simplicity of development and, considering the relation MASS/ENERGY, it comes in addition to the various existing scientific methodologies.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NOTA: O Comitê Organizador da 13ª Conferência Internacional de Aviação e Cosmonáutica da Rússia – Novembro/2014, do INSTITUTO DE AVIAÇÃO DE MOSCOU -  IAM, da Universidade Nacional de Pesquisa, aprovou o estudo do Autor para ser apresentado publicamente na "Semana da Ciência Aeroespacial", com a data aprazada de apresentação pública para 19 de Novembro de 2014, uma vez que seu resumo foi escolhido como “ABSTRACT” DE ABERTURA, à pág. 12, do Livro de Resumos em Inglês e em Russo, do IAM-2014, contendo 710 páginas, de ISBN 978-5-206-00927-9

 

 

Prof.  Dr.  NIKOLAY

KONSTANTINOVICH

LISEYTSEV

HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example

 

REGRAS DE CONVERSÃO: A conversão de lbf (ex.: foguetes), para horsepower deve ser feita observando-se os links (20) e (21), em suas variações “A” e “B”, conforme mostradas abaixo:

 

Dando-se destaque aos links  (20)  e  (21) – (idem, para aviões de potência híbrida):

 

Link (20-A): Conversor de Velocidades. Por exemplo: de kt para foot/second

http://www.endmemo.com/convert/velocity.php

Selecionar:  VELOCITY CONVERSION ONLINE – ENDMEMO

Selecionar tópico “35”  no conversor do link (20) e digitar valor da velocidade knot (kt) ; ler resulta-             do foot/second no tópico “31”

Exemplificando-se:  155 kt  corresponderá a  261,610528 ft/s

 

Link (21-A): Conversor de Pound-foot/second ↔ Horsepower Conversion

http://www.endmemo.com/sconvert/lbfft_shp.php

Selecionar:  LBF.FT/S TO HP CONVERTER, CHART -- ENDMEMO

Exemplificando-se: buscar na calculadora o resultado de lbf (ex.: 28.800 lbf) multiplicado por ft/s (ex.:  261,610528 ft/s) . Donde: 28.800 x 261,610528  = 7.534.383,2064 (resultado)

Portanto, joga-se no conversor do link (21) o resultado “7.534.383,2064” e se obtém o seguinte valor para horsepower: 13.698,877644 hp

 

 

Links (20-B; 21-B): calculando “manualmente”, (na ponta do lápis e com auxílio de calculadora eletrônica simples)

Multiplicar VLOF em kt por 1,6878098581 para obter Velocidade em  fps (foot/second);

Ex.: VLOF = 155 kt  Donde: 155  x  1,6878098581 = 261,6105280055 fps (Velocidade foot/second)

Multiplicar Velocidade fps por libra-força lbf, (ex.: 28.800 lbf), para obter-se o resultado (1);

Ex.: 261,6105280055 x 28.800 = 7.534.383,2065584 que, arredondado para “inteiros”, será 7.534.383  (1)

Multiplicar resultado (1) pelo índice 0,00181817 para ter-se o resultado (2), que será o horsepower buscado;

Ex.: 7.534.383 x 0,00181817  = 13.698,78913911 que, arredondado, será o horsepower: 13.699 hp (2)

 

 

HTML Video Tag Example

C-130 HÉRCULES – VARIAÇÃO DO  CAS  EM FUNÇÃO DE OUTROS DIFERENTES DESEMPENHOS DE VOO:

(1) DECOLAGEM QUADRIMOTOR COM REFORÇO DE 8 FOGUETES LATERAIS; (2) DECOLAGEM POSSÍVEL COM DOIS MOTORES INOPERANTES, COM REFORÇO DE 8 FOGUETES LATERAIS; (3) DECOLAGEM COM ESQUIS NA ANTÁRTIDA (com foguetes); (4) DECOLAGEM CATAPULTADA (em porta-aviões); (5) POUSO NA AREIA DA PRAIA

C-130 VOANDO BIMOTOR, COM  2 MOTORES INOPERANTES DA ASA ESQUERDA

CLIQUE NO VÍDEO

HTML Video Tag Example

C-130 HÉRCULES – VARIAÇÃO DO  CAS  EM FUNÇÃO DE OUTROS DIFERENTES DESEMPENHOS DE VOO:

(1) DECOLAGEM QUADRIMOTOR COM REFORÇO DE 8 FOGUETES LATERAIS; (2) DECOLAGEM POSSÍVEL COM DOIS MOTORES INOPERANTES, COM REFORÇO DE 8 FOGUETES LATERAIS; (3) DECOLAGEM COM ESQUIS NA ANTÁRTIDA (com foguetes); (4) DECOLAGEM CATAPULTADA (em porta-aviões); (5) POUSO NA AREIA DA PRAIA

C-130 da FORÇA AÉREA BRASILEIRA em operação na Antártida.

https://www.youtube.com/watch?v=BaLiLi2oD88

 

Decolagem em pista de gelo com 8 foguetes auxiliares incorporados à fuselagem

 

C-130 POUSANDO EM PISTA DE CONCRETO TENDO O ESQUI NA POSIÇÃO  “RECOLHIDO”

 

C-130 DECOLANDO COM

ESQUI ACIONADO – (ANTÁRTIDA)

CLIQUE NO VÍDEO

CLIQUE NO VÍDEO

CLIQUE NO VÍDEO

CLIQUE NO VÍDEO

HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example
HTML Video Tag Example

 

LINKS & OUTRAS INFORMAÇÕES:

 

O estudo em idioma Português: ALGO NOVO NA FÍSICA DE VOO DE TODOS OS TIPOS DE AVIÃO: COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO CAS  está  disponível  no  formato  PDF  pelo  link:

https://issuu.com/franciscobede/docs/coeficiente_angular_de_sustentacao_-_cas__portugue

 

O estudo em idioma Inglês: SOMETHING NEW IN FLIGHT PHYSICS OF ALL TYPES OF AIRPLANE: “ANGULAR” COEFFICIENT OF LIFT CAL está disponível no formato PDF pelo link:

https://issuu.com/franciscobede/docs/angular_lift_coefficient_-_cal

 

ADV MATER SCI - A revista AMS, (Advances in Materials Science and Engineering)é uma revista internacional de objetivos e de amplo escopo pelo fato de escolher e publicar artigos de todas as áreas da ciência e da engenharia de materiais, dentre outras pesquisas emergentes e de grande importância . O seu  Editor-Chefe é o Prof. AMIT BANDYOPADHYAY, que está baseado na WASHINGTON STATE UNIVERSITY. Em 2016 a ADV MATER SCI publicou PDF contendo 10 páginas sobre o estudo de FRANCISCO BEDÊ, dando o título “CA – Angular Lift Coefficient Theory in Horizontal Plane Takeoff”,  conforme o Volume 1(2): 10 (pages), doi 10:15761/MAS.1000111 e que pode ser acessado pelo link:

https://www.oatext.com/pdf/AMS-1-111.pdf

 

OAT – OPEN ACCESS TEXT JOURNAL conforme registro DOI: 10.15761 / AMS.1000111 publicou artigo intitulado “CA”- ANGULAR LIFT COEFFICIENT THEORY IN HORIZONTAL PLANE TAKEOFF USING LIQUID FUELS, (inclusive com tradução para o Português); cfr.  link:

https://www.oatext.com/CA-Angular-Lift-Coefficient-Theory-in-Horizontal-Plane-Takeoff-Using-Liquid-Fuels.php#gsc.tab=0

 

Livro trata do que se chama o Algoritmo de Santos Dumont - Ainda, pelo link:

http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/35107

Verifica-se que o livro sobre a pesquisa foi oficialmente lançado na Base Aérea de Natal – RN, em 5 de dezembro de 2019, tendo presidido a solenidade de lançamento o Senhor Ten. Brig. do Ar Antônio Carlos Moretti Bermudez, COMANDANTE DA AERONÁUTICA BRASILEIRA.

 

ÓPERA DO DANILIO – acessar link:

 http://www.sentandoapua.com.br/portal3/videoteca/336-opera-do-danilo

 

 

DADOS DE CATALOGAÇÃO:

Título: ALGO NOVO NA FÍSICA DE VOO DE TODOS OS TIPOS DE AVIÃO: COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO - CAS

Autor: FRANCISCO BEDÊ

Ano de publicação: 2019

Copyright: FRANCISCO BEDÊ ©

Localização no País e no Exterior - (bibliotecas): Biblioteca do ITA de SJC-Brasil; The New York Public Library; БИБЛИОТЕКА МОСКОВСКОГО АВИАЦИОННОГО ИНСТИТУТА (= Biblioteca do Instituto de Aviação de Moscou)

ISBN: 978-85-908576-5-5

Assunto: TEORIA CIENTÍFICA SOBRE O ALGORITMO DE SANTOS DUMONT

Divulgação no País / no Exterior: ITA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS; UNIFOR; EMBRAER, etc.  /  IAM (Moscou-Rússia); AIRBUS

Edição/Páginas: 1ª. Ed. ;  352 / il.21x29cm

Impressão: 1ª. Imp.

Opção de guarnição: CAPA DURA

Iluminação: EM P/B E A CORES

Editora (consórcio): TIPROGRESSO / GRÁFICA INKPRESS / GRÁFICA PRINTS

Declaração formal: O AUTOR DOA GRACIOSAMENTE ESTE ESTUDO AO MUNDO AERONÁUTICO

Fundamentação: A edição desta obra, (de ISBN 978-85-908576-5-5), tem como base as três seguintes publicações do mesmo Autor: “SANTOS DUMONT, O ENGENHEIRO AUTODIDATA” (ISBN 978-85-900990-8-6); “TEORIA DO CAS” (ISBN 9-788590-857600); e; “DESMITIFICANDO A FÍSICA DE VOO NO ESPAÇO ATMOSFÉRICO E DESMISTIFICANDO A MATEMÁTICA NO PROJETO AERONÁUTICO” (ISBN  978-85-908576-4-8.

 

 

 

PALAVRAS-CHAVE

 

Tendo em vista que este estudo é de natureza científico-evocativa, há um emprego amplo de palavras-chave, (keywords em inglês), visando o alcance máximo e a real importância do seu contexto pela modalidade de mecanismos de busca eletrônica, facilitando rápida e estrategicamente o seu conteúdo nos sites de busca como o GOOGLE, ou em plataformas de compartilhamento de vídeos como o YOUTUBE – tudo no mundo da Internet.

 

Eis a lista:

 

1)   Francisco Bedê

2)   Francisco L. O. Bedê

3)   Francisco Laélio de Oliveira Bedê

4)   Algoritmo de Santos Dumont

5)   pmd (kg) & pot (hp)

6)   peso máximo de decolagem (kg)

7)   motorização instalada (hp)

8)   coeficiente de sustentação Cl

9)   coeficiente de arrasto Cd

10) coeficiente angular de sustentação Cas

11) força de sustentação Fl

12) força de arrasto Fd

13) engenharia aeronáutica

14) aerodinâmica

 

 

 

15) Algorithm of Santos Dumont

16) mtow (kg) & powerplant (hp)

17) maximum takeoff weight (kg)

18) powerplant (hp)

19) lift coefficient Cl

20) drag coefficient Cd

21) angular lift coefficient Cal

22) lift force Fl

23) drag force Fd

24) aeronautic engineering

25) aerodynamics

 

 

Francisco Bedê desenvolveu a Teoria de Voo intitulada COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO CAS

 

Filho mais velho de Samuel Bedê Filho, médico formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro; e de; Maria de Oliveira Bedê, de prendas domésticas. Após fazer o curso primário em sua cidade natal, mudou-se aos 12 anos de idade para Fortaleza, Capital do Estado do Ceará, a fim de continuar seus estudos de ginásio da época. Tinha sempre em mente que um dia seria piloto de avião e que descobriria o “porquê” das forças aerodinâmicas poderem elevar um aparelho ao espaço atmosférico. Sua destinação de aviador mais que se cumpriu, porquanto, durante sua vida profissional desenvolveu outras pesquisas de cunho matemático ligadas às teorias de voo, à combustíveis de aviação e à aerodinâmica do ponto de vista mecânico.

Já no novo domicílio, concluiu o curso ginasial, habilitando-se por concurso público em 1955 a ingresso na Escola Preparatória de Cadetes-do-Ar, em Barbacena-MG. Após 3 anos terminou esse curso preparatório, sendo transferido para a Escola Superior de Aeronáutica, situada no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro-RJ, onde veio a formar-se em 1960 como Oficial-Aviador da Força Aérea Brasileira – FAB – promovido que foi ao primeiro grau de Oficial de Carreira, no posto de Aspirante-Aviador.

Durante toda a sua trajetória na FAB serviu em várias Bases Aéreas no decorrer de mais de 30 anos de efetivo serviço, quais Bases sejam em: Fortaleza-CE; Natal-RN; Recife-PE; Cumbica-SP; Belo Horizonte-MG; Rio de Janeiro-RJ. Realizou incontáveis viagens pilotando aviões do CAN – Correio Aéreo Nacional, inclusive pelos campos de pouso do desafiador e complexo santuário da Amazônia.

Durante toda a sua atividade aérea contabilizou cerca de 8.000 horas de voo na função de piloto em comando, voando todos os tipos de aeronaves da FAB, como: convencionais, turboélices e a jato. Aposentou-se no posto de Coronel-Aviador.

É autor da pesquisa científica intitulada, em idioma Português: ALGO NOVO NA FÍSICA DE VOO DE TODOS OS TIPOS DE AVIÃO: COEFICIENTE “ANGULAR” DE SUSTENTAÇÃO CAS

Trata-se de uma “teoria de voo” desenvolvida a partir de cálculos adimensionais obtidos trigonometricamente a partir do Algoritmo de Santos Dumont – (contas numéricas intuídas pelo PAI-DA-AVIAÇÃO durante os anos de 1906 e 1907). Também, a pesquisa está em idioma Inglês, com o título: SOMETHING NEW IN FLIGHT PHYSICS OF ALL TYPES OF AIRPLANE: “ANGULAR” COEFFICIENT OF LIFT – CAL

Francisco Bedê é autor de outras quatro diferenciadas pesquisas com conotações matemáticas: 1) Ponto de Congelamento do Combustível de Avião; 2) Teorema da Clonagem; 3) Geometrizando os conceitos de Ética e Moral; 4) A matemática dos homens e a Mente Matemática de Deus.

Domínio público: A presente pesquisa é disponibilizada graciosamente pelo Autor, com o objetivo de oferecer conhecimento para cálculo preliminar num primeiro projeto de avião. Não tendo a sua aplicação caráter “mandatório”, todavia, poderá se prestar de uso eventual por parte das indústrias aeronáuticas. E, ainda, serve para estudo de alunos de engenharia aeronáutica no aprofundamento de seus estudos acadêmicos iniciais.

 

“Quando o mundo estiver unido na busca do conhecimento, e não mais lutando por dinheiro

e poder, então nossa sociedade poderá enfim evoluir a um novo nível.”  (Thomas Jefferson)